DaVinci Art Gallery Porto Portugal 2017

DaVinci art gallery is a contemporary artistic project with a well defined and careful programming where individual or collective exhibitions of various artists are held.

The gallery is part of the (QMB)  Miguel Bombarda quarter, Porto whereby the inaugurations take into account the exhibition opening dates of that aerea. However, in parallel with these dates, an irreverent expository program, with a particular look at young artists and in proposals that are bold and innovative, is inserted.

The artistic languages ​​of the Gallery go through Painting, Sculpture, Drawing, Photography and Installation.

Ana Gonçalves, Porto 2017

Series Multiverse  and In-between


  series In-between (left), Multiverse (right)

Multiverse, Inner selfie

left : series In-between ,is about dematerialization of architecture, to fathom out the boundaries of architecture and photography.


Portuguese

DaVinci art gallery, é um projeto artístico contemporâneo com uma programação bem definida e cuidada onde são realizadas mostras, individuais ou coletivas, de diversos artistas.
A galeria faz parte do Quarteirão de Miguel Bombarda (QMB) pelo que as inaugurações têm em conta as datas de festa do Quarteirão. Contudo, paralelamente a essas datas é intercalada uma programação expositiva
irreverente, com um olhar em particular nos jovens artistas e, em propostas que sejam arrojadas e inovadoras. As linguagens artísticas da Galeria passam pela Pintura, Escultura, Desenho, Fotografia e Instalação.

Ana Gonçalves, Porto

Multiverse, Baumbox

Multiverse adota a teoria física de que infinitos universos existem incluindo o nosso. Explora-se aqui a ideia de mente-espaço individual como um universo paralelo de potenciais expandidos para valorizações e emoções sustentáveis. Pensamento, emoções e matéria inseparavelmente ligados são encruzilhadas cósmicas, como átomos, aparecendo e desaparecendo, onde tudo pode acontecer e transformar. Pensamentos transformam-se em algo: sistemas de pensamento e crença confrontados explosivamente e em constante mudança desafiam o nível social, cultural e individual da existência e da consciência.   

O perpétuo acelerar da mecanização tecnológica repete a velha promessa da oferta de mais “tempo livre” para “desfrutar” mais a vida. Promessas, que seduzem os seus consumidores, enquanto estes são hiperestimulados e bombardeados com uma cacofonia de imagens e informação.

No entanto a necessidade arcaica de contemplação e de ligações simples e naturais permanecem inalteradas desde a idade da pedra. Fotografias diretas e com multiexposição são exibidas juntamente com fotografias reconstruídas, dispostas em foto esculturas tridimensionais, holográficas e translúcidas. As esculturas são visíveis por todos os lados e mudam, dependendo do ponto de vista do espectador. Arquitetura e retratos são combinados com sombras, luz, reflexões e vazios: o efémero, a enfatizar a presença da materialidade, bem como a impermanência desmaterializada do físico a sugerir uma mudança nos aspetos emocionantes e invisíveis da vida.